sexta-feira, dezembro 09, 2011




Crava-se o sol no silêncio dos muros;
na noite blindada, no néon dos dias,
há mãos que se isolam
como águas claras,
libertando-se de todas as amarras.


Crava-se o sol no silêncio dos muros,
no desamor do tempo em que vivíamos.



_____________mariagomes
dez, 2011

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Podes entrar ; tenho as mãos para dizer o disperso canto das águas. Os meus olhos, alagados pelo grito das árvores, são lúcidos ao início do sol. Com o amor das coisas, rejubilo e lanço os braços a um rodopio doce e futuro, a uma tempestade humana. Tudo o que eu espero é sentir o elo da criação que se move, entre mim e ti, e a claridade. ____________mariagomes
Estou no Blog.com.pt

Free Site Counters



Free Site Counters