sábado, dezembro 25, 2004

quando eu nasci

g


" Quando eu nasci, já as lágrimas que eu havia
De chorar, me vinham de outros olhos."
Dante Milano


quando eu nasci havia uma praia de fogo
e de palha

os olhos verdes da minha mãe vigiavam o mar
por uma lágrima

solitariamente os homens abriam o sol ardia a verdade
de um fulgor infinito

quando eu nasci existia um grito
igualmente as estrelas compunham a cor.

mariagomes
dez.2004

7 comentários:

maat disse...

gostei muito deste poema.
por vezes é mais fácil comentar aqui.
beijos.


mariah

mariagomes disse...

ah sim,em dúvida, minha amiga.

obrigada pelo comentario, pela visita,

beijo

maria

mariagomes disse...

emendo: ...SEM dúvida...


mariagomes

Márcia Maia disse...

Um beijazul de natal, maria querida. Além de saudade e carinho. Ah, e um beijo especial de Letícia para Sofia. :)

mariagomes disse...

muito obrigada, Marcinha


carinhos a Lectícia meus e de Sofia ( manda uma foto)


um bom natal e votos de um 2005 próspero a toda a familía,

beijo
maria

Peter disse...

De vez em quando venho ler os seus poemas. Nunca me arrependo.

Silvia Chueire disse...

Maria,

Você sabe como eu gostei deste poema. Foi um prazer relê-lo aqui.

Beijo grande e Feliz Ano Novo !

Silvia

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Podes entrar ; tenho as mãos para dizer o disperso canto das águas. Os meus olhos, alagados pelo grito das árvores, são lúcidos ao início do sol. Com o amor das coisas, rejubilo e lanço os braços a um rodopio doce e futuro, a uma tempestade humana. Tudo o que eu espero é sentir o elo da criação que se move, entre mim e ti, e a claridade. ____________mariagomes
Estou no Blog.com.pt

Free Site Counters



Free Site Counters