segunda-feira, novembro 14, 2005

amo-te pelas alamedas, cercada;
de noite, velo por ti na geografia de estrelas implacáveis.

Oh silêncio de símbolos onde me sento,
é minha a voz íntima de muralhas.

mariagomes
14 de nov.2005

2 comentários:

hfm disse...

Como já te disse, Maria, um poema que me tocou muito! Belíssimo.

f.s.m. disse...

"SENTI" muito este poema ; tocou zona sensível do meu íntimo. E a música "ambiente" está de acordo, porque é linda.

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Podes entrar ; tenho as mãos para dizer o disperso canto das águas. Os meus olhos, alagados pelo grito das árvores, são lúcidos ao início do sol. Com o amor das coisas, rejubilo e lanço os braços a um rodopio doce e futuro, a uma tempestade humana. Tudo o que eu espero é sentir o elo da criação que se move, entre mim e ti, e a claridade. ____________mariagomes
Estou no Blog.com.pt

Free Site Counters



Free Site Counters