quinta-feira, dezembro 15, 2005


( Hellenic Festival, 31 Aug.01, Ancient Theatre of Epidaurus)



agora só as árvores me dirigem

neste quase inverno mudaram a nudez da minha boca

sou uma pessoa resumida às árvores
sou uma folha


vejo uma flor eterna a cair
e chamo-a

inclino-me sobre a minha pele porque murmurei um nome

vê meu amor esta música não pára de subir.

mariagomes
14/15 de Dez.2005



nota- este poema deve ser lido com o acompanhamento da faixa musical nº 2) Lamentu I do cd Eurípedes Trojan Women, música de Eleni Karaindrou da ECM Records, 2002, cuja capa é exibida na foto)
mariagomes

7 comentários:

Maria do Céu Costa disse...

Maria, já há algum tempo que por aqui não passava. Mas hoje estive o tempo necessário para colocar as minhas leituras em dia.
"...sou uma pessoa resumida às árvores
sou uma folha

vejo uma flor eterna a cair
e chamo-a..."

Simplesmente direi, lindo. Beijinhos.

Anónimo disse...

és isso e muito mais – poeta, fotógrafa…começo a notar que muitos me acompanham nessa paixão simultânea pelas palavras e pelas imagens! contagiante?
circular também pelas artes, é viver!
bom Natal… bj carlos p f

Silvia Chueire disse...

Mesmo uma beleza de poema.

Beijos,
Silvia

r.e. disse...

grande música, sim. e excelente poesia, como sempre. beijinho. J.

delusions disse...

grande poema...de uma nostalgia linda...beijo

lupanardopensamento.blogspot.com

addiragram disse...

para a minha amiga mariagomes um feliz Natal e um 2006 sempre produtivo e inspirado!

Cláudio Rúbio disse...

Menina, um Feliz Natal e um Ano Novo repleto de Prosperidade para você e todos os que lhe são queridos. Que o Menino aniversariante lhe entregue - sempre - em todos os seus dias, o melhor Presente. Muita Saúde e Paz, e todas as bênçãos que couberem em sua cabeça e em seu coração. Um beijo!

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Podes entrar ; tenho as mãos para dizer o disperso canto das águas. Os meus olhos, alagados pelo grito das árvores, são lúcidos ao início do sol. Com o amor das coisas, rejubilo e lanço os braços a um rodopio doce e futuro, a uma tempestade humana. Tudo o que eu espero é sentir o elo da criação que se move, entre mim e ti, e a claridade. ____________mariagomes
Estou no Blog.com.pt

Free Site Counters



Free Site Counters