sábado, dezembro 03, 2005

olha,há mais do que a lucidez da água batendo nos escombros,
terrífica.

não consigo escrever, a palavra é feita de um peixe azul.
em consenso inútil,
o mar fica-se pelo tempo que me percorre

e a humildade da cinza.

devolvo-te a voz.

mariagomes
dez.2005

4 comentários:

Pólux disse...

Gosto muito! Deste e de todos os poemas que li. Porque se trata, em meu entender, de uma poesia bem viva, muito bem estruturada e emocionalmente intensa e profunda.

Bem-haja, Maria Gomes!

amina ruthar disse...

Aqui mora toda poesia.
Leio , leio...e releio todas as suas escritas.
Abraços ,
Amina
http://aminaruthar.blogspot.com/

Silvia Chueire disse...

Uma beleza de poema, Maria.

Beijos,
Silvia

Márcia disse...

beijo grande, amiga, do lado de cá do mesmo mar.

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Podes entrar ; tenho as mãos para dizer o disperso canto das águas. Os meus olhos, alagados pelo grito das árvores, são lúcidos ao início do sol. Com o amor das coisas, rejubilo e lanço os braços a um rodopio doce e futuro, a uma tempestade humana. Tudo o que eu espero é sentir o elo da criação que se move, entre mim e ti, e a claridade. ____________mariagomes
Estou no Blog.com.pt

Free Site Counters



Free Site Counters