sábado, novembro 06, 2004

o gesto do olhar




eu fico-me pelo soco da lembrança
de um deserto
deito-me na noite plana
na superfície de sonhos vivo
hei-de escrever um epitáfio em estanho
a boca em eco
o amor crivado de memória
hei-de escrever o horizonte
o gesto do olhar
a pedra
na história angular da nossa história.

mariagomes
6, nov.2004, 23h.35m

6 comentários:

maat disse...

Que Lembrança na Memória!
Que Raízes gigantes que este Poema tem.
Beijo,

mariah

maat disse...

Que Lembrança na Memória!
Que Raízes gigantes este Poema tem.
Beijo,

mariah

maat disse...

Que Lembrança na Memória!
Que Raízes gigantes este Poema tem.
Beijo,

mariah

Silvia Chueire disse...

Um belo poema.Tem força.
Beijos,
Silvia

mariagomes disse...

a vossa presença é também uma força

beijos

maria

zezinho disse...

Impressionante a força deste belissimo poema, querida amiga Maria.
As minhas mais profundas e sinceras desculpas pela ausência. Só agora o jornal parece estar a ficar mais ou menos automatizado.
Um abraço.

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Podes entrar ; tenho as mãos para dizer o disperso canto das águas. Os meus olhos, alagados pelo grito das árvores, são lúcidos ao início do sol. Com o amor das coisas, rejubilo e lanço os braços a um rodopio doce e futuro, a uma tempestade humana. Tudo o que eu espero é sentir o elo da criação que se move, entre mim e ti, e a claridade. ____________mariagomes
Estou no Blog.com.pt

Free Site Counters



Free Site Counters