sábado, novembro 20, 2004

Um poeta, um amigo *



OUTONAL



Cai uma folha no poente destes dias
O que era nítido torna-se difuso
Babel renasce em cinzas de um deserto próprio
E o vento busca em vão uma harmonia

A solidão é em mim um oásis às avessas
Lutando em vão contra a miragem certa





*Amélia Pais




outono - José Malhoa (1855 - 1933)


3 comentários:

mariah disse...

Belo,Mariah.
Gostei tanto de a ver aqui!

bjs.
bom fim de semana.

mariah disse...

Maria(errata)

mariagomes disse...

pois é mariah, a amélia escreve pouco mas muito bem.

bj
maria

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Podes entrar ; tenho as mãos para dizer o disperso canto das águas. Os meus olhos, alagados pelo grito das árvores, são lúcidos ao início do sol. Com o amor das coisas, rejubilo e lanço os braços a um rodopio doce e futuro, a uma tempestade humana. Tudo o que eu espero é sentir o elo da criação que se move, entre mim e ti, e a claridade. ____________mariagomes
Estou no Blog.com.pt

Free Site Counters



Free Site Counters