sábado, janeiro 22, 2005

apenas flores veladas




não haverá um alvo nos teus olhos,
quando o silêncio cobrir cedros.
as tuas mãos, a salvo, serão a cicatriz do corpo.
nem o vento ouvirá palavras - os momentos que dissermos.
lentamente, apenas flores veladas, brancas,
tão brancas, como rosas baleadas por invernos.

mariagomes
jan.2005


5 comentários:

Da Mata disse...

Belo esses versos, Maria!
Fez-me lembrar destes outros versos:

'Entregue a chuva esqueceu a vida
Em poças de lágrimas molha os pés
Em folhas rasgadas de poemas não ditos
Descansa o amor perdido em silêncio'
UM ABRAÇO

Amélia disse...

Muito belo - muito teu.Beijos

Márcia Maia disse...

ah, Maria, vc e suas imagens incrivelmente belas: 'como rosas baleadas por invernos'.
um beijo daqui.

José Félix disse...

maria

eu diria que os teus poemas, cada vez mais fortes, reflectem uma mistura de signos que a memória vai desenhando com as sombras deixadas pelo tempo.

um beijo para ti

mariagomes disse...

ah meus amigos!, o meu beijo a todos pela vossa visita, pelos vossos comentários,

mariagomes

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Podes entrar ; tenho as mãos para dizer o disperso canto das águas. Os meus olhos, alagados pelo grito das árvores, são lúcidos ao início do sol. Com o amor das coisas, rejubilo e lanço os braços a um rodopio doce e futuro, a uma tempestade humana. Tudo o que eu espero é sentir o elo da criação que se move, entre mim e ti, e a claridade. ____________mariagomes
Estou no Blog.com.pt

Free Site Counters



Free Site Counters