sábado, maio 28, 2005

José Craveirinha

O Fernando Costa que vive à beira do Índico, enviou-me este poema de José Craveirinha. "Um contributo", diz ele, no e-mail que me dirigiu...

Saravá, meu irmão!

mariagomes




Oh velho Deus dos homens
eu quero ser tambor
e nem rio
e nem flor
e nem zagaia por enquanto
e nem mesmo poesia.
Só tambor ecoando como a canção da força e da vida
Só tambor noite e dia
dia e noite só tambor
até à consumação da grande festa do batuque!
Oh velho Deus dos homens
deixa-me ser tambor
só tambor!

José Craveirinha
( Moçambique)

4 comentários:

jorge disse...

soa a áfrica soa!

José Félix disse...

maria

josé craveirinha é, seguramente, um dos autores de língua portuguesa que mereceram, de jure, o prémio Camões.
Bem-haja teres colocado aqui o autor dos poemas a Maria, sua mulher.

Márcia disse...

belza pura, maria!
beijo.

mariagomes disse...

é lindo, sim, o Craveirinha!
Há muito que pensava po-lo aqui, mas foi o Fernando Costa que me deu um alerta.

beijinhos
maria

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
Podes entrar ; tenho as mãos para dizer o disperso canto das águas. Os meus olhos, alagados pelo grito das árvores, são lúcidos ao início do sol. Com o amor das coisas, rejubilo e lanço os braços a um rodopio doce e futuro, a uma tempestade humana. Tudo o que eu espero é sentir o elo da criação que se move, entre mim e ti, e a claridade. ____________mariagomes
Estou no Blog.com.pt

Free Site Counters



Free Site Counters